Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Governo ameaça regras mais rígidas

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

Pernambucanos vão enfrentar, amanhã e domingo, o segundo final de semana com medidas restritivas para tentar conter o avanço da covid-19 no Estado. O apelo do governo estadual é que as pessoas só saiam de casa se realmente for necessário. O isolamento social, o uso de máscaras para proteger boca e nariz e o reforço nos hábitos de higiene são ações que contribuem para diminuir o contágio. Parques não poderão ser frequentados, praias só para atividades esportivas individuais e os serviços não essenciais – como bares e restaurantes – deverão permanecer fechados. Caso os indicadores referentes à doença não melhorem, o governo do Estado voltou a prometer a adoção de medidas mais duras para obrigar a população a ficar em casa. No último fim de semana (dias 6 e 7), quando serviços essenciais já não puderam funcionar, o índice de isolamento foi muito baixo, na avaliação do secretário estadual de Defesa Social, Antônio de Pádua. No sábado, a taxa ficou em 43,3% e no domingo em 50,2%. “O ideal é que a taxa de isolamento seja de no mínimo 60%. Se não houver necessidade de sair, fique em casa. O isolamento é fundamental nesse momento. As medidas do governo são impostas para minimizar a circulação das pessoas. Estamos fiscalizando, mas é preciso da colaboração da sociedade”, destacou. “Estamos passando por esse momento muito difícil. Ainda não há uma proibição de circulação das pessoas em qualquer cidade de Pernambuco. As medidas impostas pelo governo desde o dia 26 já preveem restrições. Mas elas podem ser endurecidas a depender da avaliação dos números que estão sendo observados diariamente”, alertou Pádua. Em maio do ano passado, cinco municípios do Grande Recife, incluindo a capital, precisaram passar 15 dias em lockdown. “É possível sim que novas medidas sejam adotadas nas próximas horas, nos próximos dias. Isso será avaliado pelo gabinete de enfrentamento à covid-19, que está em reunião permanente verificando os indicadores”, complementou o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo.

FISCALIZAÇÃO Antônio de Pádua informou que haverá reforço na fiscalização amanhã e domingo, envolvendo policiais, bombeiros e guardas municipais. Serviços essenciais como padarias, farmácias e supermercados podem abrir. Shoppings, bares e restaurantes apenas para delivery. Além do efetivo regular, haverá o lançamento de 3.600 profissionais da segurança para reforçar a fiscalização. O secretário lembrou que festas clandestinas serão coibidas, assim como o funcionamento dos serviços que não essenciais. “Nas praias, a faixa de areia para lazer está proibida no fim de semana, seja para banho de mar, seja para beber ou venda de produtos”, destacou. “Se houver descumprimento as pessoas serão levadas para delegacia.” Sessenta e sete pessoas já foram autuadas por descumprir o decreto.