Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Recorde de casos e nova suspensão de cirurgias

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

Estado registrou 2.987 novas confirmações de coronavírus, maior marca desde o começo da pandemia. Operações eletivas tiveram proibição prorrogada

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou ontem 2.987 novos casos da Covid-19, maior marca desde o começo da pandemia, em março de 2020. Já o número de mortes (74) se igualou ao recorde registrado em 2021. Para priorizar a oferta de leitos a pacientes do coronavírus, o governo do estado prorrogou a suspensão das cirurgias eletivas – sem urgência – nos hospitais das redes pública e privada até 30 de abril. A proibição começou em 8 de março.

Entre os casos de Covid-19 confirmados ontem, 244 (8%) são gaves e 2.743 (92%) leves. Agora, Pernambuco totaliza 352.218 diagnósticos da doença, sendo 36.277 graves e 315.941 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha. O boletim também registra 298.206 pacientes recuperados. Destes, 21.074 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 277.132 tinham sintomas leves.

Foram confirmados 74 novos óbitos (40 masculinos e 34 femininos), ocorridos entre 18 de abril do ano passado e 31 de março deste ano. A lista de vítimas inclui 21 residentes do Recife, sete de Olinda e três de Jaboatão. Com isso, o estado totaliza 12.249 mortes pela pandemia. Os pacientes tinham idades entre 36 e 106 anos, incluindo 22 casos fatais entre pessoas com menos de 60 anos.

PROCEDIMENTOS
Foi prorrogada até o fim deste mês a suspensão da maior parte das cirurgias eletivas que demandem internação hospitalar em Pernambuco, tanto na rede pública quanto na privada. O objetivo é evitar sobrecarga nos sistemas de saúde e ter vagas disponíveis para internação dos casos suspeitos ou confirmados da Covid-19, além de priorizar o uso de insumos e medicamentos para esses pacientes graves.

Continuam mantidas as cirurgias eletivas inadiáveis, como as oncológicas, cardíacas, transplantes e procedimentos que possam causar dano permanente ao paciente em caso de adiamento, além das cirurgias ambulatoriais que não demandam internamento hospitalar. Consultas ambulatoriais e os serviços de urgência e emergência também estão mantidos.

“A Secretaria Estadual de Saúde (SES) reforça que os servidores que atuam nessas cirurgias e foram realocados para outras áreas da assistência hospitalar ou teletrabalho serão mantidos nessas funções”, comunicou o órgão, por nota.

Números

  • 352.218 casos já foram confirmados desde o começo da pandemia

  • 12.249 mortes confirmadas até agora

  • 96% é a ocupação nas UTI da rede pública
    – 1.507 leitos ocupados
    – 63 livres

  • 90% é a ocupação nas UTIs da rede privada
    – 459 vagas preenchidas
    – 51 leitos desocupados