Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Cuide do seu coração durante a pandemia

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

Óbitos por ataque cardíaco e AVC cresceram 71% no Recife. Cuidados não devem ser deixados de lado por causa do isolamento social

Mais de 104,6 mil pessoas já morreram no país, apenas neste ano, por doenças cardíacas. Os números da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) chamam atenção também à necessidade de continuar cuidando da saúde do coração mesmo se a pessoa estiver praticando isolamento social dentro de casa durante a pandemia da Covid-19. Desde o segundo semestre de 2020, Pernambuco ocupa o segundo lugar no ranking nacional de óbitos por problemas coronários, com 19,5 mil fatalidades.

Conforme dados da Sociedade Pernambucana de Cardiologia, as mortes por doenças cardiovasculares não especificadas, infartos e acidentes vasculares cerebrais aumentaram 71% apenas no Recife, durante a pandemia, seguindo uma tendência nacional que inclui crescimento de 132% em Manaus, por exemplo. Com a nova rotina, boa parte dos indivíduos abriu mão dos exercícios, passou a se alimentar pior, ampliou a ingestão de bebidas alcoólicas e deixou de ir ao médico, um conjunto de atitudes perigosas.

Cardiopatas estão entre os pacientes que mais sofrem com complicações quando infectados pelo coronavírus. Mas a negligência aos cuidados com o coração pode ter consequências fatais mesmo se a pessoa não pegar Covid-19, como explica o cardiologista Marco Antônio Alves. “Mesmo apresentando sintomas preocupantes, alguns pacientes deixam de buscar atendimento ou fazem isso quando o quadro já se agravou bastante, por medo de se contaminar, afirma. Segundo ele, é possível perceber um aumento de 15% nos casos da chamada mortalidade intradomiciliar, que é quando o paciente morre antes de conseguir chegar ao hospital.

“Qualquer sintomatologia não foi feita para ser guardada, mas sim compartilhada com um profissional médico, sendo vetada a ideia da automedicação. Ao apresentar sinais como dor no peito, falta de ar, suor excessivo, palidez ou, até mesmo, uma tontura ou dor de cabeça de maior proporção, o passo correto é buscar uma emergência”, afirma o cardiologista, lembrando que a precaução é válida mesmo para quem não tenha ainda nenhum histórico de problema cardíaco.

ALAS SEPARADAS

O médico reforça que as unidades hospitalares têm setores específicos voltados para receber pacientes cardiopatas, totalmente independentes das alas preparadas para o acolhimento de síndromes respiratórias, como a Covid-19. “Temos lutado contra esta ideia equivocada de que, ao procurar um hospital, o cidadão será contaminado indiscriminadamente com o vírus. Existem protocolos sanitários de bastante responsabilidade para isso. Deixar de buscar ajuda, no momento correto, pode representar um divisor entre permanecer vivo ou não”, destaca Marco Antônio, que recomenda, , para melhorar a saúde do coração, comer bem, atividades de relaxamento, convívio em família e amigos, ainda que remoto, além de boas noites de sono e redução do estresse. “Tudo que possa favorecer a uma vida mais saudável e feliz”, resume o especialista.

Os 10 mandamentos da saúde cardíaca

  1. Evite fumar e não consuma bebida alcoólica em excesso

  2. Diga não à obesidade

  3. Faça exercícios regularmente

  4. Controle a pressão arterial

  5. Consuma alimentos saudáveis, evitando gordura e açúcar em excesso

  6. Controle o colesterol

  7. Reduza o estresse no seu dia a dia

  8. Saiba se é diabético e controle sua glicemia

  9. Não deixe de ter atividades de lazer

  10. Consulte seu médico periodicamente

Se tiver algum desses sintomas, procure assistência imediata

  • Dor no peito

  • Falta de ar

  • Suor excessivo

  • Palidez

  • Tontura

  • Dor de cabeça forte