Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Fase de vacinação é antecipada

9
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 9
            [name] => Clipping
            [slug] => clipping
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 9
            [taxonomy] => category
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 77136
            [filter] => raw
            [cat_ID] => 9
            [category_count] => 77136
            [category_description] => 
            [cat_name] => Clipping
            [category_nicename] => clipping
            [category_parent] => 0
        )

)
					Array
(
    [0] => clipping
)
tem				

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta terça-feira a antecipação em duas semanas do prazo final para que todos os adultos do país estejam elegíveis para receber a primeira dose da vacina contra a covid-19. Em 11 de março, Biden havia anunciado a meta para o dia 1º de maio. Agora, será 19 de abril. Na semana passada, Biden já havia informado que 90% dos adultos estariam aptos para a imunização antes do fim do mês. Com os estados expandindo a vacinação ou planejando fazê-lo, no entanto, houve um entendimento de que será possível contemplar todas as pessoas maiores de idade na nova data. Até o momento, 32% da população já receberam ao menos uma dose das vacinas da Moderna e da BioNTech, que demandam duas injeções. Cerca de 19% dos americanos já receberam as duas doses ou foram inoculados com a vacina da Janssen, de uma só dose. Biden também anunciou que 150 milhões de doses já foram aplicadas desde sua posse, em 20 de janeiro. A nova meta é vacinar 200 milhões de pessoas até 30 de abril, nos 100 dias da posse do democrata. O número representa o dobro do objetivo inicial de 100 milhões de doses, alcançado em 19 de março. A rápida campanha de vacinação americana, que aplica mais de 4 milhões de doses por dia, deve-se a uma série de fatores, incluindo a injeção de recursos federais nos laboratórios durante as fases iniciais de testes. Aspectos da Operação Warp Speed (Velocidade da Dobra), lançada no governo de Donald Trump para acelerar a produção dos imunizantes, são elogiados até por seus críticos. A disponibilidade maciça de doses, contudo, esbarra também no protecionismo: há uma proibição de fato da exportação de vacinas até que a maior parte dos americanos seja inoculada. Segundo dados da Universidade Duke, os EUA asseguraram doses para vacinar o equivalente a 200% da sua população – em paralelo, várias das nações mais pobres sequer têm vacinas para imunizar seus profissionais de saúde. Os EUA prometem não reter as doses extras após conquistarem seu objetivo. Conforme o vírus continua a circular em ampla escala, maiores são as chances de surgirem outras variantes mais contagiosas e resistentes, prolongando a pandemia. A preocupação com a desigualdade foi reforçada pelo diretor da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom. “É ultrajante que em alguns países trabalhadores de saúde e grupos de risco continuem completamente sem vacinas”, afirmou ontem. “Aumentar a produção e garantir a distribuição igualitária de doses continua a ser o maior obstáculo para pôr fim à fase aguda da pandemia”, concluiu. Apesar da vacinação acelerada, os EUA veem hoje um aumento dos casos de Covid-19, após os diagnósticos despencarem quase 80% entre janeiro e março.