Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Noronha começa a imunizar policiais e bombeiros

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

Fernando de Noronha deu início à vacinação contra a Covid-19 em policiais civis, policiais militares e bombeiros que estão atuando na fiscalização das medidas sanitárias na ilha. Esse grupo prioritário também é responsável pelo atendimento às ocorrências relacionadas aos descumprimentos de restrições de atividades e serviços no arquipélago.

A aplicação das vacinas Coronavac, do Instituto Butantan, aconteceu no comando da Polícia Militar, na Vila do Trinta, e no comando do Corpo de Bombeiros, na Vila do DPV, respeitando todas as normas de distanciamento e proteção. Profissionais da Vigilância em Saúde do distrito vacinaram os agentes de segurança durante a manhã desta sexta-feira.  

Daniela Costa, gestora de Atenção Básica de Fernando de Noronha, explica que  vacinar as corporações que atuam em Fernando de Noronha é algo necessário, por eles trabalharem em conjunto com a administração nos cumprimentos do decreto para evitar a propagação do vírus. “As forças de segurança e salvamento estão na linha de frente. Tanto os policiais que fazem investigação, quando pedimos apoio em alguma ocorrência, quanto os bombeiros que realizam atendimentos pré-hospitalares, precisam ficar imunizados contra essa doença. Por isso e fundamental imunizar esse grupo prioritário”.

O tenente do Corpo de Bombeiros, André Badin, ressaltou o trabalho feito pela corporação, principalmente no contato direto, e diário, com as pessoas. “O Corpo de Bombeiros atua em todas as áreas de emergência. Seja em salvamento aquático, urbano, atendimento pré-hospitalar e incêndios. Ou seja, a gente tem um trato direto com todos os cidadãos, todo o fluxo turístico que entra e sai do arquipélago. Então, é muito importante a nossa corporação tomar a vacina”, explicou.

O soldado Paulo Rocha, que tem nove anos na corporação, se sentiu aliviado em receber a dose. “E vou ficar mais satisfeito ainda quando eu tomar a segunda”, disse. O cabo Ademilson Pereira destacou o trabalho que as forças de segurança na ilha. “Desde o início da pandemia que a Polícia Militar vem trabalhando na fiscalização, nas aglomerações, para conscientizar as pessoas sobre o o distanciamento.”