Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Vacinação suspensa no interior

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

Após receberem menos doses da vacina CoronaVac do que o previsto, devido a problemas na distribuição de novas remessas pelo Ministério da Saúde, municípios pernambucanos começam a ter desabastecimento do insumo e, com isso, anunciam a suspensão da aplicação. No Agreste do Estado, a cidade de Caruaru informou que suspenderá a aplicação da segunda dose de CoronaVac até a data em que novas doses foram recebidas. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, as pessoas que tomaram a primeira dose desse imunizante, entre os dias 3 e 17 de abril e tiveram a segunda agendada para o período de 1º a 15 de maio, devem aguardar a convocação para receber a segunda aplicação. A cidade de Caruaru segue o recomendado pelo governo de Pernambuco, em reunião realizada na segunda-feira (26): no caso de falta de estoque, os municípios devem fazer o agendamento para a data prevista de chegada de nova remessa, o que só deve acontecer em maio. Em Caruaru, a campanha segue normalmente para o público que deve receber as aplicações de AstraZeneca. Também no Agreste, o município de Belo Jardim, suspendeu temporariamente a vacinação com CoronaVac, mas continua a imunizar com AstraZeneca (primeira dose). “O estoque para vacinação da segunda dose da CoronaVac/Butantan está zerado. Isso ocorreu após o posicionamento do Ministério da Saúde, que liberou a utilização de 100% das vacinas para realização da primeira dose, garantindo o envio da segunda dose, posteriormente, em tempo hábil (o que não ocorreu)”, diz, em nota, a Secretaria de Saúde de Belo Jardim. Para retomada da vacinação, o município frisa que está no aguardo do envio de nova remessa pelo Ministério da Saúde. “A Secretaria de Saúde de Belo Jardim solicita à população, que estava programada para ser vacinada agora, que aguarde novo informe sobre a chegada de novos lotes. As pessoas programadas para primeira dose, a partir de 62 anos, e para segunda dose da AstraZeneca podem procurar o Centro de Vacinação Covid, onde as doses estão disponíveis.” Já no Sertão do Estado, Petrolina anunciou que está suspensa temporariamente a aplicação da segunda dose da CoronaVac. Questionada pela reportagem do JC sobre os estoques da CoronaVac para aplicação da segunda dose e o possível risco de desabastecimento do imunizante, a Secretaria de Saúde do Recife não respondeu. Ainda na Região Metropolitana, Olinda garantiu que o agendamento da vacinação continua disponível pelo site da prefeitura para idosos com idades a partir de 60 anos, acamados e trabalhadores da saúde. “Informamos ainda que, devido ao planejamento estratégico implementado pela atual gestão nos 13 pontos de vacinação, estamos de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h, vacinando o público prioritário. A Secretaria de Saúde de Olinda acrescenta que, caso o estoque da vacina fique comprometido, a população será devidamente informada.” Em nota, o município também frisou que tem aproximadamente 8 mil vacinas CoronaVac destinadas aos olindenses que estão agendados para receber a segunda dose. “Vale ressaltar que, até o município receber uma nova remessa no Ministério da Saúde, apenas as pessoas agendadas serão vacinadas.” Também no Grande Recife, Jaboatão dos Guararapes assegurou que a aplicação da segunda dose da vacina contra a covid-19 ocorre dentro dos prazos estabelecidos. “Desde o início da campanha, vem sendo garantido estoque do imunizante, apesar de o Ministério da Saúde ter recomendado o uso das remessas na primeira dose. Jaboatão conta com estoque de 8.158 doses da CoronaVac para a segunda aplicação. A primeira está sendo feita com a AstraZeneca”, diz, em nota, a Secretaria Municipal de Saúde. IDOSOS Ontem o Estado ultrapassou a marca de 1 milhão de idosos vacinados com a primeira dose de vacina contra a covid-19. Esse quantitativo representa 80,5% de toda a população a partir dos 60 anos. “Atingir essa marca nos alegra, na esperança de diminuirmos os adoecimentos e, principalmente os óbitos nesse público, que representa cerca de 75% de todas as mortes pela covid-19 desde o início da pandemia no Estado”, afirma o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo. Vale frisar que menos de 370 mil idosos finalizaram o esquema vacinal (com ambas as doses), representando 29,4% desse grupo etário. A meta é proteger, no mínimo, 90% desse público.