Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Abril Marrom: Mês de prevenção e combate às causas da cegueira

9
Array
(
    [0] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 4
            [name] => Destaques
            [slug] => destaques
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 4
            [taxonomy] => category
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 933
            [filter] => raw
            [cat_ID] => 4
            [category_count] => 933
            [category_description] => 
            [cat_name] => Destaques
            [category_nicename] => destaques
            [category_parent] => 0
        )

    [1] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 3
            [name] => Notícias
            [slug] => noticias
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 3
            [taxonomy] => category
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 8989
            [filter] => raw
            [cat_ID] => 3
            [category_count] => 8989
            [category_description] => 
            [cat_name] => Notícias
            [category_nicename] => noticias
            [category_parent] => 0
        )

)
					Array
(
    [0] => destaques
    [1] => noticias
)
NÃO tem				

Pensado para ser o mês de alerta e conscientização à prevenção de diversas causas de cegueira, o Abril Marrom surgiu em 2016, com a iniciativa do médico Suel Abujamra, especialista em oftalmologia e ex-presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

Segundo a Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira (IAPB), atualmente a catarata afeta 350 mil pessoas no Brasil. De acordo com o oftalmologista e conselheiro do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), Tiago Marques Cavalcanti, o diagnóstico da catarata é dado através de uma consulta. As consequências da doença podem variar entre uma simples alteração de refração, passando pela perda da capacidade laboraria, até a cegueira. “O tratamento é cirúrgico com a remoção do cristalino e com a inserção de uma lente intraocular, altamente reprodutível e eficaz, que reabilita prontamente a capacidade visual” explicou Cavalcanti.

Além da catarata, existem outras doenças oculares que podem causar a cegueira, como, por exemplo, o glaucoma, que surge em decorrência a uma sequência do aumento na pressão intraocular. “O glaucoma é uma doença relacionada a danos do nervo óptico e perda do campo visual, acusada pelo aumento da pressão intraocular. É a maior causa de cegueira irreversível do mundo, a estimativa de 2020 era de cerca de 80 milhões de pessoas com glaucoma no mundo, dos quais 3,2 milhões poderiam chegar à cegueira”, salientou o médico.

O oftalmologista também destacou a retinopatia diabética, que é 5% de todos os casos de cegueira em todo o mundo, isto é, cerca de dois milhões de pessoas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). “A retinopatia diabética são alterações na retina decorrentes da Diabetes Mellitus, mas também sofrem influência da falta de controle da Hipertensão arterial sistêmica, dislipidemias e também do tabagismo. Depois de 15 anos da doença, cerca de 2% das pessoas tornam-se cegos. Depois de 20 anos de doença, cerca de 75% dos diabéticos têm alguma forma de retinopatia diabética”, destacou o oftalmologista.

A campanha Abril Marrom foi escolhida neste mês em homenagem ao nascimento de José Álvares de Azevedo, o professor que, em 1850, trouxe o alfabeto Braille para o Brasil, escrita tátil utilizada por pessoas cegas ou com baixa visão. Já a cor, se dá por ser a coloração de íris mais comum nos olhos dos brasileiros.

Edição: Joelli Azevedo