Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

16 milhões de doses até a segunda-feira

As matérias veiculadas pelo jornal citado como “fonte” não representam a opinião do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe). O clipping tem por objetivo atualizar os leitores das principais notícias referentes à saúde veiculadas no país e, principalmente, no estado de Pernambuco

No dia em que o Brasil encerrou o mês mais mortal da pandemia, ministro da Saúde prometeu acelerar campanha e vacinar toda a população neste ano

No dia em que se encerreou o mês mais mortal desde o começo da pandemia no Brasil, com 82 mil óbitos, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou de coletiva da Organização Mundial da Saúde (OMS) focada em abordar a situação do Brasil e das Américas, ao lado das autoridades da entidade. Queiroga aproveitou para ressaltar o trabalho feito em um mês à frente da pasta e se comprometeu a acelerar a vacinação contra a Covid-19.

Em resposta ao Correio Braziliense/Diario, o ministro afirmou que distribuirá 16 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 aos estados brasileiros até a segunda-feira. “Isso (a quantidade de doses), por exemplo, equivale a populações de países como Portugal, Grécia e Israel. E essas vacinas, logo que distribuídas, são, através de estados e municípios, disponibilizadas para a nossa população”, afirmou.

O ministro disse, ainda, que a prioridade do Brasil neste momento é a campanha nacional de vacinação. Ele reforçou que o país trabalha para acelerar o recebimento de imunizantes já comprados e pretende comprar mais doses. “Estamos na iminência de assinar um novo contrato com a Pfizer para a compra de mais 100 milhões de doses”, revelou.

O Brasil já assinou um acordo com a farmacêutica para adquirir 100 milhões de unidades da vacina Comirnaty, desenvolvida pela Pfizer/Biontech. O primeiro lote, com um milhão de doses, chegou na quinta-feira ao país.

O cardiologista também afirmou que o Brasil tem vacinas bastantes para imunizar toda a população até o fim do ano. “Temos doses suficientes para o segundo semestre e é possível garantir que até o fim do ano de 2021 tenhamos a nossa população inteiramente vacinada”, ressaltou.

Uma das expectativas do ministro da Saúde é vacinar 2,4 milhões de pessoas por dia. Anteriormente, a meta eram um milhão. No entanto, esta previsão não vem sendo cumprida diante da lenta distribuição de imunizantes aos estados brasileiros.

ESCASSEZ

Dos 2.831 municípios ouvidos na sexta edição da pesquisa da Confederação Nacional de Municípios sobre a pandemia, 673 relataram ter ficado sem vacina para a primeira dose destinada aos públicos prioritários nesta semana ou na anterior. O número equivale a 23,8% das cidades que participaram da sondagem. Já no caso da segunda dose, o índice de prefeituras que manifestaram ter ficado sem o imunizante sobe para 30,7%. Outros 68,7% disseram não ter passado por desabastecimento dessa dose. (