Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Robô inicia testes de usabilidade em Pernambuco

O robô Aurora, desenvolvido por pesquisadores brasileiros para desinfetar ambientes e eliminar micro-organismos, como o novo coronavírus, tem uma unidade em testes avançados no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), onde já foi comprovada sua eficácia contra micro-organismos, matando vírus, fungos e bactérias. O espectro do robô é bem amplo e não se limita ao novo coronavírus. Ele utiliza radiação para desinfetar os ambientes e inteligência artificial para locomoção. Agora, ele precisa passar pelo teste de usabilidade, isto é, ser incluído na rotina do hospital, disse o pesquisador Leandro Almeida, do Centro de Informática (CI), da UFPE em entrevista a Agência Brasil.

No teste de usabilidade, previsto para até o final deste mês, os pesquisadores querem saber o uso do Aurora, qual a sensação que ele desperta nas pessoas, se ele se desloca bem no ambiente hospitalar, em que horários ele pode ser utilizado. “Isso tudo se refere ao uso do dispositivo”.

Dez unidades serão entregues este mês à universidade. “A ideia é que sejam usados pela própria UFPE, a princípio no Hospital das Clínicas”, informou Almeida. A ferramenta poderá ser usada também em outros locais que necessitem de desinfecção periódica.

O funcionamento do robô Aurora é realizado por intermédio de um operador que utiliza uma Interface Homem Máquina para definir o caminho a ser percorrido pelo robô durante a desinfecção. Ao finalizar esse procedimento, o trajeto fica gravado na memória do robô para que o operador possa se retirar do ambiente e dar início ao processo de varredura. O equipamento possui segurança para os usuários, uma vez que seu funcionamento é realizado sem a presença das pessoas no ambiente, reiterou a UFPE, via assessoria.