Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Medidas prorrogadas

A permanência de um cenário epidemiológico da pandemia bastante crítico em Pernambuco, com patamar alto de casos graves da covid-19 e grande solicitação por leitos, levou o governo do Estado a prorrogar medidas restritivas estabelecidas em todo o território pernambucano, seguindo agora até o próximo dia 13. Além disso, as Regionais de Saúde de Arcoverde, Afogados da Ingazeira e Serra Talhada, no Sertão, seguirão as normas já vigentes no Recife, na Região Metropolitana e em áreas da Zona da Mata, com restrições aos sábados e domingos, quando somente serviços autorizados podem funcionar. As 65 cidades do Agreste, sendo 53 municípios das Gerências Regionais (Geres) de Caruaru e Garanhuns, além das 12 cidades da Geres de Limoeiro, seguem em quarentena rígida. Nesses locais, durante toda a semana, só atividades autorizadas podem abrir as portas. Já a Macrorregião 4, que contempla a região do Vale do São Francisco e Araripe, permanece no esquema de funcionamento até 20h, de segunda a sexta, e até 18h nos fins de semana. “Continuamos com uma grande demanda por leitos, superando a capacidade de nossas redes públicas e privadas absorverem nossos doentes, gerando filas”, disse ontem o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, em coletiva de imprensa. Ele também chamou a atenção para um alto volume de registros de pessoas que continuam a adoecer com sintomas graves de covid-19. Na análise epidemiológica da semana 21 (23/5 a 29/5), o Estado ficou no mesmo patamar de quadros graves da semana anterior (16/5 a 22/5), com a notificação de 1.975 pessoas com sintomas mais severos da infecção. “Na análise por Macrorregião, temos um cenário de estabilidade na 4ª (Vale do São Francisco e Araripe), seguido de um estágio de platô, em níveis ainda muito elevados, na 1ª (Recife, Região Metropolitana e Zona da Mata)”, informou Longo. Ele complementou que, no Agreste, foi possível interromper a aceleração exponencial da covid-19, o que fez os indicadores (casos e solicitação de leitos) ficaram estáveis. “Mas é uma região que continua gerando muitos doentes graves, pressionando a rede de saúde. Na 3ª Macrorregião, que compreende o Moxotó e o Pajeú, tivemos uma aceleração mais rápida, com um crescimento de 19% em uma semana e de 21% em 15 dias no número de casos de síndrome respiratória aguda grave.” Com relação à solicitação por vaga de terapia intensiva (UTI), a região da Macro 3 apresentou um aumento de 18% em uma semana e de 68% em 15 dias. Foram 57 na semana 19 e 67 solicitações na 20, chegando a 79 na última semana. Ainda durante a coletiva de imprensa, o secretário chamou a atenção para as próximas datas comemorativas. “Amanhã (hoje, dia 3), por exemplo, temos um feriado e, em 12 de junho, o Dia dos Namorados. Definitivamente, é preciso que todos saibam que essas datas também precisam ser momentos de reforço do cuidado. Agora é hora de ficar em casa; de só sair se for realmente necessário. E, se sair, usar máscara corretamente, além de reforçar o distanciamento e evitar aglomerações. Voltarmos a uma normalidade possível vai depender apenas de nós mesmos. Com cada um fazendo sua parte agora, vamos superar este momento e poderemos estar todos juntos novamente, em breve”, destacou André Longo.