Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Anvisa autoriza testes para uma nova vacina

Ensaio clínico para a aprovação de mais um imunizante no combate ao novo coronavírus terá a participação de 150 voluntários brasileiros

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, ontem, mais um estudo clínico de vacina contra a Covid-19. Dessa vez, a vacina que será testada é a do laboratório Sanofi Pasteur e o estudo clínico autorizado para acontecer no Brasil é de fase 1 e 2, nas quais são testadas a segurança e a dosagem ideal para garantir proteção com o imunizante.  

Segundo a agência, o estudo deve contar com a participação de 150 voluntários no Brasil, que serão selecionados nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Bahia. Os testes de fase 1 e 2 também vão ser conduzidos nos Estados Unidos, Honduras e na Austrália.  

“O objetivo do estudo é testar três diferentes dosagens da vacina para definir a dose ideal antes de prosseguir para um estudo de fase III. O estudo prevê a aplicação de duas doses com 21 dias de intervalo”, explicou a Anvisa, em nota.

Para a realização do estudo clínico da nova vacina contra a Covid-19, ainda é necessário a aprovação dos Comitês de Ética em Pesquisa (CEPs) e/ou da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).  

Desde o início da pandemia, a Anvisa já aprovou 89 estudos clínicos de medicamentos e produtos biológicos, como as vacinas, contra a Covid-19. Recentemente, a Anvisa também autorizou a realização do estudo clínico com a vacina Butanvac, produzida pelo Instituto Butantan. No entanto, o órgão regulador ainda solicita dados específicos para que o Butantan possa dar início ao estudo.

CORREIOS E BANCÁRIOS

O Ministério da Saúde informou ontem que incluiu as categorias dos bancários e dos trabalhadores dos Correios entre os grupos prioritários do Plano de Operacionalização da campanha de vacinação contra a Covid-19.

O anúncio foi feito no Palácio do Planalto pelo ministro Marcelo Queiroga, ao lado de outros ministros, e comunicado por meio das redes sociais da pasta.

Não foi detalhado nos comunicados pelas redes sociais em que ordem de prioridade essas categorias foram inseridas.