Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Anticoagulante em estudo contra Covid-19

O paciente só é inserido no estudo se apresentar sintomas leves ou moderados sem indicação clara de hospitalização e ao menos dois fatores de risco

Um paciente de Pernambuco faz parte de um estudo desenvolvido para avaliar a possibilidade de uso do anticoagulante rivaroxabana em pacientes com Covid-19 leve ou moderada, realizada por hospitais, redes e institutos de pesquisa do Brasil (Coalizão Covid-19).  O cardiologista Audes Feitosa é o principal investigador envolvido no projeto no Pronto-Socorro Cardiológico Universitário de Pernambuco (Procape).
 
De acordo com o médico, o objetivo da investigação é testar a hipótese de que o medicamento esteja associado à redução de eventos complicadores como os tromboembólicos venosos (TEV), a sobrevida sem ventilação mecânica e os cardiovasculares maiores (definidos como infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral ou isquemia aguda de membro), além de morte fora do hospital não atribuído à acometimentos mais graves no período de 30 dias do acompanhamento.
 
O centro, que conta com apenas um paciente participando do estudo, está selecionando mais voluntários para a pesquisa, mas é preciso preencher alguns requisitos.
 
“É preciso ter mais de 18 anos de idade, ter sido avaliado em unidade de emergência com infecção provável ou confirmada por Covid-19 e tempo entre os sintomas e a inclusão no estudo menor que sete dias para participar”, explicou o cardiologista.
 
Além disso, o paciente só pode ser inserido no estudo se apresentar sintomas leves ou moderados da doença, sem indicação clara de hospitalização, e pelo menos dois fatores de risco para complicação, como hipertensão, obesidade, tabagismo, história de câncer não ativo, entre outros.
 
Os interessados em ajudar na pesquisa como voluntário, devem entrar em contato direto com o Centro de Pesquisa Clínica do Procape/UPE, através do telefone: (81) 99722.6611.