Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

70% dos óbitos são de idosos

De cada dez mortos por covid-19 no Brasil atualmente, quase sete são idosos, segundo novo boletim do Observatório do Observatório Covid-19 da Fiocruz, divulgado na noite dessa quinta-feira (19). O avanço da vacinação entre as pessoas mais jovens e o fato de o vírus continuar circulando intensamente no País explicam a razão de o segmento mais vulnerável da população voltar a representar a maior parte dos óbitos pela infecção, mesmo com duas doses de vacina.

O texto também confirma que pela oitava semana consecutiva foi observada redução do número de casos, internações e óbitos no País. O Rio, contudo, vai em direção inversa à tendência.

A proporção de idosos entre o total de casos de internação por covid já esteve em 27,1% na semana 23, entre 6 e 12 de junho. Agora, nas semanas 31 e 32, de 1 a 14 de agosto, o porcentual é de 43,6%.

No caso dos óbitos, comparando com a mesma semana 23, o salto foi de 44,6% para 69,2%, mostrando claramente a reversão da tendência anterior, que era de rejuvenescimento da pandemia.

“Com relação aos óbitos, a mudança é mais dramática: há novamente uma concentração de óbitos nas idades mais longevas, com completa reversão da transição da idade ocorrida nos meses anteriores”, informa o novo boletim.

Isso não quer dizer que os imunizantes não funcionem, como frisam sempre os especialistas. Pelo contrário, a vacinação reduz significativamente o número de casos graves e óbitos. Nenhuma vacina, porém, é 100% eficaz.

Diante da alta circulação do vírus, é esperado que o número de casos e mortes aumente proporcionalmente na faixa etária mais vulnerável. Além disso, é natural que a imunidade caia após alguns meses da vacinação. Por isso, cientistas pedem mais atenção às medidas de prevenção.

Em geral, em todo o País, os números de casos e óbitos por covid vêm caindo de forma sustentada nas últimas oito semanas. A taxa de mortalidade geral do Brasil diminuiu 0,9% ao dia. A taxa de incidência de casos de covid foi reduzida em 1,5% diariamente.

A exceção, no entanto, é o Rio de Janeiro, onde avança a variante Delta, que é mais transmissível. No Estado, a ocupação dos leitos hospitalares destinados à infecção está em 70%. E já chega a 92% na capital.

“A sensação artificial de que a pandemia acabou é a responsável por um relaxamento das medidas de prevenção”, alertam os pesquisadores.

BOLETIM

Ontem, o Ministério da Saúde registrou 979 novas mortes em função do novo coronavírus. Com isso, o Brasil tem agora a soma de 572,6 mil pessoas que faleceram após serem infectadas pelo Sars-CoV-2 ao longo dos últimos 17 meses.

Em relação aos novos casos, os testes realizados em todos os estados apontaram 36.315 novas infecções confirmadas em território nacional, também segundo ao Ministério da Saúde. Desde o início da pandemia, em março de 2020, mais de 20,4 milhões de brasileiros já contraíram a doença do novo coronavírus.