Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

OMS ainda busca igualar os países

Infectologista responsável pela resposta da Organização Mundial da Saúde (OMS) à pandemia de coronavírus, Maria Van Kerkhove reforçou, durante sessão de perguntas e respostas ontem (24), o pedido da entidade multilateral para que países deixem os planos de oferecer doses de reforço aos seus cidadãos até que toda a população mundial mais vulnerável à covid-19 seja vacinada contra a doença.

Segundo ela, a “ideia de que nós podemos proteger uma população específica sem proteger o resto do mundo dá uma falsa sensação de segurança”, uma vez que variantes estão emergindo e viagens internacionais são retomadas. “O objetivo das vacinas contra a covid-19 é prevenir casos graves e mortes. Precisamos que pessoas de todos os países sejam imunizadas”, argumentou.

De acordo com Van Kerkhove, há “transmissão generalizada” do vírus no momento, com os Estados Unidos liderando as novas infecções.

A OMS recebeu, na semana passada, quase 4,5 milhões de registros de novos casos, enquanto 68 mil mortes por covid-19 foram reportadas no período, de acordo com a especialista.

Nas Américas, houve aumento de 8% em novos casos nos últimos sete dias, em relação ao mesmo período anterior, e alta de 10% nos óbitos, na mesma base de comparação, destacou Van Kerkhove.

Mais de 5 bilhões de doses de vacinas contra a covid-19 já foram administradas no mundo, segundo uma contagem da AFP até ontem (24) às 11h30 (horário de Brasília), com base em fontes oficiais.

Demorou 26 dias para administrar 1 bilhão de vacinas, dos 4 bilhões para os 5 bilhões de doses, um ritmo de injeção semelhante ao observado nos 3 bilhões e 4 bilhões (que demoraram 30 e 26 dias, respectivamente).

Por outro lado, demorou 140 dias para injetar as primeiras bilhões de doses. A China continua representando quatro em cada dez injeções aplicadas no mundo, com um total de 1,96 bilhão de doses. A Índia (589 milhões) e Estados Unidos (363 milhões) completam o pódio em valores absolutos.

Mas a cada cem habitantes, os Emirados Árabes Unidos lideram a lista com 179 doses, e se aproximam de 75% de sua população completamente vacinada. São seguidos pelo Uruguai, com 154 doses a cada cem habitantes e 70% de sua população com o esquema completo da vacina. Depois vêm Israel (149), Catar (148), Singapura (147), Bahrein (144) e Dinamarca (143).