Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Serviço de terapia aquática é inaugurado, pela Fundação Altino Ventura, para pessoas com múltiplas deficiências

Ao acreditar na água como recurso que ajuda a prevenir e a tratar problemas de saúde, a Fundação Altino Ventura (FAV) abre as portas das atividades de terapia aquática e multissensorial, que acontecem na sede da instituição, localizada no Iputinga, Zona Oeste do Recife. Para construir o espaço, de mil metros quadrados, foram investidos R$ 2,6 milhões (maior parte captada por meio de doações). O serviço tem capacidade para beneficiar cerca de 450 pacientes que vivem com múltiplas deficiências, condição em que há a associação de duas ou mais deficiências primárias, como física, visual, intelectual ou auditiva na mesma pessoa. 

“As atividades da terapia aquática também são destinadas aos nossos pacientes com autismo e que nasceram com microcefalia, em decorrência da síndrome congênita do zika vírus”, destaca a oftalmologista Liana Ventura, presidente do Conselho Curador da FAV. No novo espaço, estão piscina coberta e aquecida, consultórios terapêuticos de avaliação global do paciente, sala com ferramentas do método TheraSuit (programa de fisioterapia intensiva voltada a desordens neuromusculares) e terapias multissensoriais integradas. A infraestrutura conta ainda com vestiários amplos e banheiros adaptados, espaço de acolhimento das pessoas com deficiência, seus cuidadores e famílias, além de capela ecumênica. 

“Era um sonho antigo agregar a terapia auditiva, intelectual, motora e física em um mesmo lugar. Essa foi a razão de se criar o Centro Especializado em Reabilitação Menina dos Olhos. Mas faltava a complementação desse serviço, que vem agora com a terapia aquática e multissensorial. Então, entregamos todas as atividades, num mesmo lugar, à população”, frisou o oftalmologista Marcelo Ventura, presidente do Conselho Diretor da FAV. 

O serviço de terapia aquática da FAV possui uma equipe formada por oito fisioterapeutas, dois terapeutas ocupacionais e educadores físicos, que realizam diversas atividades focadas na recuperação e melhoria da qualidade de vida dos pacientes com múltiplas deficiências. Já a terapia de integração sensorial é ofertada a pacientes com autismo, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), síndrome de Down e paralisia cerebral, entre outras condições.

Também no novo espaço da instituição, os pacientes podem ser beneficiados com atividades capazes de melhorar a coordenação motora, estimular o ganho de força muscular, a flexibilidade, a resistência e o equilíbrio para a realização de atividades diárias do paciente. Isso é possível com o método Therasuit, que usa equipamentos e técnicas especializadas para promover a qualidade de vida de pacientes com desordens neuromusculares que necessitam de ações repetitivas para aprender novas habilidades motoras. Como tratam de diversas disfunções, as terapias oferecem ganhos para a visão e a audição.

O pequeno Pedro Miguel Firmo, 5 anos, é uma das crianças que já iniciaram a realização da terapia aquática na FAV. Na piscina, ele relaxa enquanto realiza os exercícios aquáticos conduzidos por uma profissional com capacidade para usar técnicas cientificamente comprovadas. “As terapias fazem muito bem a ele, e agora vai melhorar ainda mais na piscina. Sou muito grata à FAV”, conta a avó de Pedro, a dona de casa Maria de Fátima Firmo Soares, 58 anos. 

A FAV recebe os pacientes através de encaminhamento de unidades vinculadas ao Sistema Único de Saúde (SUS), mediante a apresentação do laudo para a assistente social. Para a manutenção dos novos serviços, a FAV iniciou uma campanha de captação de recursos. Os interessados em colaborar podem fazer doações via PIX (81 98124-1960) ou por transferência bancária (Caixa Econômica Federal), através da conta corrente (tipo 003) 00904173-9, agência 4253, CNPJ 10.667814/0008-04.