Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Campanha para os atrasados

Com quase 740 mil pernambucanos em atraso com a segunda dose contra covid-19, o governo de Pernambuco lança campanha de mídia para incentivar e reforçar a importância de se completar o esquema vacinal contra a infecção. O Estado contabiliza, atualmente, 738.860 pessoas que não finalizaram a imunização contra o coronavírus. A campanha, que contempla mídia impressa, filme para TV, spot de rádio e peças de internet, traz como mote central o slogan São duas doses. A vida, essa, é uma só e deve circular até o sábado (25), quando será realizado “Dia D” da semana de mobilização.

Dos pernambucanos em atraso para receber a segunda aplicação contra covid-19, 506.979 precisam finalizar o esquema vacinal com a AstraZeneca/Fiocruz, 187.759 com a CoronaVac/Butantan e 44.122 com a Pfizer.

“Nossa prioridade, neste momento, são as aplicações de segunda dose em todas as pessoas que estão em atraso. Nós precisamos, definitivamente, avançar nossa cobertura e pedimos apoio aos municípios pernambucanos na busca ativa dessa população. A mobilização, durante toda esta semana, será fundamental para alcançarmos nossa meta, que é garantir a proteção da população com as duas doses”, afirmou o secretário Estadual de Saúde, André Longo, durante apresentação da campanha aos secretários municipais de Saúde, ao longo da reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), realizada na tarde de ontem.

O presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Pernambuco, José Edson de Souza, destacou a articulação do Estado com os municípios e o comprometimento dos gestores. “O Dia D é uma articulação com todas as cidades pernambucanas, que estão comprometidas em realizar grandes ações em seus territórios. Só uma ação conjunta possibilitará êxito na convocação das pessoas para a aplicação da segunda dose, com a participação ativa de agentes comunitários, dos trabalhadores da Atenção Primária e das respectivas secretarias municipais de saúde”, disse.

As mídias impressas, como cartaz, banner e panfleto, estão em distribuição aos municípios pernambucanos para reforçar a ação de mobilização. Já o filme e o spot de rádio, ambos com 30 segundos, reforçam que a proteção completa só ocorre com as duas doses da vacina e afirma: “Se você já tomou a primeira dose, dê o braço para a segunda”.

As peças para internet estão nas mídias sociais, em contagem regressiva ao “Dia D”, com diversas mensagens de incentivo à procura pela segunda dose da vacina, como: “Completar seu esquema vacinal é um ato de amor e respeito não só com você, mas com todos ao seu redor”.

A campanha também abrange ações de rua com distribuição de panfletos e máscaras nos terminais integrados de ônibus, onde há grande circulação de pessoas. Serão contemplados os terminais da Macaxeira, Barro, Camaragibe, Pelópidas Silveira, Joana Bezerra, PE-15, Cajueiro Seco, Tancredo Neves e Xambá. Para auxiliar na convocação, cidades do Grande Recife também terão circulação de veículos de som realizando o chamamento.

“A gente precisa criar um clima voltado à importância da segunda dose no decorrer desta semana”, destacou André Longo. Ele afirmou que, nos próximos dias, Pernambuco ainda receberá um grande quantitativo de Pfizer, mas um volume razoável de AstraZeneca. “Esperamos receber mais dela. Nosso déficit para vacinar os pernambucanos em atraso com AstraZeneca é de mais meio milhão de doses.”

Se houver falta de AstraZeneca, durante o “Dia D” ou antes disso, os municípios e o Estado pactuaram que Pfizer poderá ser aplicada. “Ficou acertado, na Comissão Intergestores Bipartite, que poderão tomar a vacina da Pfizer as pessoas com mais de 90 dias em atraso para a segunda dose e que iniciaram o esquema vacinal com AstraZeneca”, frisou o secretário. Ele reforçou que já estão comprovadas segurança e eficácia do esquema heterólogo (combina vacinas diferentes) com esses imunizantes. “Mas entre 60 e 90 dias, a orientação ainda é aguardar AstraZeneca. Ultrapassou esse período, deve-se trabalhar com a lógica de ser possível usar a Pfizer”, concluiu André Longo.