Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Hoje é dia de tomar a 2ª dose

Completar o esquema vacinal contra a covid-19 é imprescindível para vislumbramos o fim da pandemia. Mas, em
Pernambuco, há mais de 780 mil pessoas em atraso com o esquema vacinal, o que põe em risco as próprias vidas delas e as dos que as rodeiam. Para reduzir esse número, o governo do Estado e as prefeituras realizam hoje o chamado Dia “D” de aplicação da segunda dose, com a participação de agentes comunitários, dos trabalhadores da
Atenção Primária e das respectivas secretarias municipais de saúde.

Em entrevista ao Passando a Limpo, da Rádio Jornal, ontem, o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, destacou a urgência da mobilização continuar mesmo após a campanha. “Esse trabalho tem que ser contínuo, a mobilização é muito importante, mas tem que ser constante. Continuamos batendo na tecla da importância da vacinação completa, e temos procurado dialogar com os municípios, porque a busca ativa é fundamental”, afirmou.

Também ontem, em pronunciamento, o governador Paulo Câmara informou que 65% da população total do Estado está vacinada com a primeira dose, mas só 33% com a imunização completa. “São cerca de 780 mil pernambucanos com a segunda dose atrasada e é fundamental que consigamos avançar nesse público”, justificou.

Segundo o governador, para que aconteça uma retomada plena de todas as atividades em 2022 é preciso intensificar a vacinação. “Se você está com a segunda dose em atraso, compareça neste sábado ao posto mais próximo da sua casa
e fortaleça sua imunização contra o novo coronavírus”, concluiu.

Pernambuco já aplicou 9.649.450 doses de vacinas contra a covid-19 na sua população, desde o início da campanha de imunização no Estado, em janeiro deste ano. Ontem, uma nova remessa de vacinas da Astrazeneca/Fiocruz chegou ao
Estado. As 43.250 doses deverão ser utilizadas, exclusivamente, para a aplicação da segunda dose em trabalhadores industriais.
BALANÇO
Pernambuco registrou, ontem, mais 1.023 casos da covid-19. Uma confirmação tão alta não era vista no Estado desde 1º de setembro, quando 1.057 doentes foram contabilizados. A Secretaria Estadual de Saúde justificou que esse aumento é devido a “ocorrências não notificadas nos últimos dias por causa de inconsistências apresentadas pela
plataforma do Ministério da Saúde, que realiza o registro dos casos leves”.

O Estado totaliza 618.327 casos confirmados da doença, desde o início da pandemia.

Também foram contabilizadas, ontem, mais 14 mortes pela doença. Os óbitos ocorreram entre 25 de maio de 2021 e essa última quinta-feira. Com isso, o Estado totaliza 19.673 mortes pela covid-19.