Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Apelo por uso de máscara

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) afirmou, ontem, que a manutenção do caráter obrigatório do uso de máscaras ainda é essencial para a superação da pandemia no Brasil.

Em comunicado divulgado pelo órgão, o presidente do conselho, Carlos Lula, secretário de saúde do Maranhão, afirmou que os episódios recentes de cidades retirando a obrigatoriedade do uso de máscaras em determinados locais pode levar a uma nova onda de casos. Após uma reunião do Grupo de Especialistas em Vigilância Epidemiológica da Secretaria estadual de Saúde (SES) do Rio, o secretário estadual de Saúde Alexandre Chieppe disse ao GLOBO que está mantido o uso obrigatório de máscaras no Rio.

“A vacinação da população, a testagem e o consequente monitoramento dos casos detectados e de seus contados, somam-se ao uso de máscaras, à lavagem frequente das mãos e a utilização de álcool em gel como medidas indispensáveis para a superação da pandemia”, afirmou o Conass em comunicado assinado por Carlos Lula.

O presidente do conselho lembrou o caso de países que tiveram “experiências frustrantes” ao suspender a obrigatoriedade do uso de máscaras e, hoje, sofrem com um crescimento de casos e óbitos. Um dos países que flexibilizou as regras, os Estados Unidos, voltou a testemunhar novos casos. A vacinação no país, entretanto, parou de avançar devido à falta de cultura vacinal na população americana.

Nesta semana, a prefeitura do Rio também sinalizou que poderá liberar a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais abertos e sem aglomeração. A informação consta em ata de uma reunião do comitê científico que foi compartilhada pelo prefeito, Eduardo Paes, numa rede social, na tarde da última segunda-feira.