Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Menos tempo para 3ª dose

O governo de Pernambuco autorizou as reduções do intervalo e idade mínima para aplicação de dose de reforço contra covid-19. A partir de agora, além dos trabalhadores da saúde, todos a partir de 55 anos podem tomar a dose de reforço. A dose extra passa a ser aplicada quatro meses (120 dias) após o encerramento do esquema com duas doses, ou com a vacina de dose única. Anteriormente, o tempo de espera era de seis meses (180 dias). Para os imunossuprimidos, continua valendo o intervalo de 28 dias de intervalo depois da segunda dose ou única.

A decisão foi pactuada, após análise do Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação,
junto aos municípios pernambucanos na Comissão Intergestores Bipartite (CIB). “É importante avançarmos para
termos o maior número possível de pessoas protegidas. Estamos acompanhando com muita atenção o recrudescimento dos casos da covid-19 em alguns países da Europa. E, se quisermos evitar o mesmo por aqui, precisamos garantir maiores percentuais de cobertura vacinal”, destacou o secretário Estadual de saúde, André Longo.

O gestor enfatizou que Pernambuco, apesar de estar entre os dez estados brasileiros com maiores percentuais
de cobertura vacinal, ainda precisa ampliar o número de pessoas protegidas. “É imprescindível que os gestores
mantenham isso no radar e não diminuam suas estratégias, pois o que estamos fazendo agora terá o impacto
decisivo para superarmos a pandemia.”

Ontem à noite, 162.630 doses de vacinas da fabricante Pfi zer/BioNTech chegaram ao Estado. Elas serão usadas
na aplicação de segundas doses na população a partir dos 18 anos, além de doses de reforço.

Após a autorização do Estado, municípios como Jaboatão dos Guararapes e Olinda, ambos na Região Metropolitana do Recife, já anunciaram que vão começar a aplicar a dose de reforço nos novos públicos e em menor tempo.

“Não é preciso agendar a vacinação com a dose de reforço, bastando apenas se dirigir a um dos pontos de vacinação montados por toda a cidade, com documento de identificação oficial com foto e carteira de vacinação”, disse o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira.

A Prefeitura de Olinda reforçou que, no ato da vacinação, a pessoa deve apresentar documento de identificação com
foto, cartão de vacina e comprovar residir no município.

A Prefeitura do Recife ainda não se posicionou se vai diminuir para quatro meses o espaço entre a conclusão do
esquema vacinal e a dose de reforço. Na capital, o público liberado para tomar a dose extra já está em 55 anos.

Já o arquipélago de Fernando de Noronha inicia, amanhã, a aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19 nos moradores e trabalhadores da ilha, com idade a partir de 18 anos, que já tenham tomado a segunda dose há, no mínimo, quatro meses. A decisão foi tomada na reunião entre autoridades de saúde de Pernambuco e a CIB.