Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

As Américas superam 100 milhões de casos de Covid-19, diz Opas

Mais de 100 milhões de casos de Covid-19 foram registrados nas Américas desde o início da pandemia, com um aumento de 36% nas infecções na América do Norte na semana passada impulsionado pelos Estados Unidos, declarou a Organização Pan-Americana da Saúde nesta quarta-feira (22).

A Opas observou que a variante ômicron, que representou 73% dos casos de Covid-19 nos Estados Unidos na semana passada, já foi relatada em 18 outros países e territórios americanos: Argentina, Bermuda, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, Guadalupe, Guiana Francesa, Ilhas Cayman, México, Panamá, Peru, Porto Rico, Saint Martin e Trinidad e Tobago.

De acordo com os últimos dados epidemiológicos da Opas, escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), na última semana houve diminuição das infecções em partes da América Central e do Sul, mas foi constatado aumento no Caribe.

Na América do Sul, as infecções por Covid-19 caíram 10,7% e as mortes 6,3%. Apesar disso, a Bolívia registrou um aumento acentuado nas infecções, que também aumentaram no Equador e na Argentina, de acordo com um comunicado.

A Opas disse que a tendência de queda de casos continua na América Central, com queda de 10,8%, enquanto no Caribe o aumento é de 16%.

“Os países devem manter suas medidas de saúde pública para limitar a transmissão do vírus e ajustá-las de acordo com os riscos locais” de disseminação, disse a diretora da Opas, Carissa Etienne, citada no comunicado.

A Opas recomenda vacinação contra a Covid-19 e medidas para reduzir o risco de exposição ao vírus: usar máscara, respeitar a distância física de outras pessoas, lavar as mãos com frequência e evitar locais com aglomeração, especialmente em espaços fechados.

A Opas acredita que a maioria dos países da região alcançará ou excederá a meta estabelecida pela OMS de vacinar 40% de sua população elegível até o final de 2021.

Mas Haiti, Jamaica, São Vicente e Granadinas, Guatemala, Santa Lúcia e Granada podem não atingir essa meta, de acordo com as projeções atuais.

O primeiro caso de Covid-19 nas Américas foi identificado em 21 de janeiro de 2020 nos Estados Unidos.