Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

EUA autorizam pílula anticovid

Os Estados Unidos autorizaram, ontem, o uso da pílula contra a covid-19 da Pfi zer para pessoas do grupo de risco maiores de 12 anos, em um momento em que o número de casos da variante ômicron no país não para de subir, ameaçando as festas de fim de ano. O Paxlovid, que compreende dois tipos de comprimidos, recebeu autorização de uso emergencial da Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) depois que um ensaio clínico mostrou que seu uso reduz o risco de hospitalizações e morte de pessoas em risco em 88%.

“A ação de hoje é uma prova do poder da ciência e o resultado da inovação e engenhosidade americana”, exaltou o presidente Joe Biden em um comunicado, prometendo invocar uma lei que ajudaria a Pfi zer a aumentar rapidamente a produção do medicamento.

Os Estados Unidos já acordaram comprar 10 milhões de tratamentos no valor de 5,3 bilhões de dólares aproximadamente. Os primeiros 265.000 serão entregues em janeiro e o restante até o meio do ano que vem, informou o coordenador da Casa Branca para a pandemia, Jeff Zients, em comunicado.

“A autorização de hoje apresenta o primeiro tratamento contra a covid-19 em forma de pílula, ingerida por via oral”, disse a cientista da FDA Patrizia Cavazzoni em um comunicado. “Esta aprovação proporciona uma nova ferramenta para lutar contra a covid-19 em um momento crítico da pandemia, no qual estão surgindo novas variantes”, disse a funcionária da FDA.

O organismo enfatizou que o tratamento deveria complementar e não substituir as vacinas, que continuam sendo a ferramenta de primeira linha no combate ao coronavírus. Mas as pílulas que podem ser vendidas nas farmácias deveriam ser de acesso muito mais fácil do que os tratamentos com anticorpos sintéticos, que requerem infusões administradas por gotejamento em hospitais ou centros especializados.

O uso do tratamento da Pfizer já tinha sido autorizado na semana passada na União Europeia, à espera de uma aprovação formal e como medida emergencial diante do aumento dos casos da ômicron.

ONDA ÔMICRON

A autorização ocorre em um momento em que os contágios de covid-19 avançam nos Estados Unidos, impulsionados pela variante ômicron, a mais infecciosa vista até agora, e quando o acesso a testes de detecção se tornou um desafi o devido às longas filas.

Empresas como Amazon, Walgreens e CVS limitaram o número de testes caseiros que os clientes podem adquirir. A administração de Biden prometeu distribuir 500 milhões de testes a partir do próximo mês, embora os especialistas acreditem que este número seja pequeno demais e a medida chegue tarde demais.