Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Ministro diz que festas aumentaram casos

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou ontem que o recente aumento do número de casos de Covid-19 no país está relacionado às festas de fim de ano, o que, segundo ele, não foi algo estimulado pelo governo federal.

Segundo Queiroga, ainda nesta semana, o governo apresentará uma posição oficial sobre uma “eventual política para a aprovação dos autotestes”, o que poderá ampliar a capacidade de testagem por meio de exames a serem adquiridos em farmácias. Sobre o recente aumento do número de pessoas contaminadas pela variante Ômicron, o ministro confirmou que as unidades básicas de saúde (UBSs) vêm recebendo número maior de pacientes. “Isso é fruto das festas de final de ano, que não foram estimuladas pelo governo federal”, afirmou.

Queiroga lembrou que a ampliação orçamentáriadeR$ 17 bilhõesparaR$ 25 bilhõesopaís terá condições de enfrentar a pandemia. O ministro alertou, no entanto, que, para o sucesso desse enfrentamento, énecessária a colaboração de estados e municípios,principalmente comrelação ao avanço nas aplicações da segunda dose e da dose de reforço. Queiroga chamou a atenção para a situação de alguns estados, principalmente daRegião Norte, onde osníveis de aplicação da vacina estão baixos. Queiroga disse que assiste-se ao aumento do número de casos, mas ressaltou que ainda não há pressão sobre os estados. “O número de óbitos ainda está em um patamar aceitável, se é que se pode aceitar óbito. Estamos ampliando os testes. Em janeiro, vamos distribuir 28 milhões de testes rápidos, sendo 13 milhões até o dia 15. Em fevereiro, temos perspectiva concreta de 7,8 milhões de testes”.

AUTOTESTES

De acordo com Queiroga,a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) fez uma consulta ao ministério sobre uma “eventual política para aprovação dos autotestes”. “O autoteste é uma iniciativa que pode se somar ao esforço do poder público de maneira geral. Nesta semana, com certeza, teremos uma resposta [sobre essa questão]”, afirmou. AAgência tambémrecomendou, na tarde de ontem, a suspensão definitiva da temporada de navios de cruzeiro no Brasil. Até o dia 6 de janeiro, houve 1.177 casos positivos de Covid-19 entre tripulantes e passageiros. Também foi registrada a detecção de 31 casos nos 55 dias iniciais da temporada (de 1/11 a 2/12/2021), comumavanço acentuadoapartir do dia 26 de dezembro,tendo sido registrados 1.146 casos em 12 dias (de 2/126 a 6/1/2022), aumentode 37 vezes.