Pesquisar
Agendar Atendimento Presencial

Serviços

ver todos

Legistas param o IML quinta por 24 horas

Categoria cobra cumprimento de acordo feito após paralisação ocorrida em maio. Serviços serão suspensos às 7h. À noite, profissionais avaliam se mantêm movimento

Os 311 médicos-legistas e peritos dos Institutos de Criminalística (IC) e Medicina Legal (IML) do Estado vão realizar uma paralisação de advertência a partir das 7h da próxima quinta-feira. O movimento, previsto para durar 24 horas, foi definido durante assembléia da categoria realizada ontem à noite, no Instituto de Medicina Legal, em Santo Amaro, Centro do Recife. Com a decisão, perícias no local do crime ficarão suspensas. Os corpos que entrarem no IML também não serão necropsiados e, conseqüentemente, não vão ser liberados.

Segundo a presidente da Associação de Polícia de Pernambuco (Apoc-PE), Atanásia Prado, a paralisação acontecerá porque o governo do Estado não cumpriu o que foi acordado com os trabalhadores durante a greve realizada em maio. “Nós temos uma gratificação em cima do salário. Ficou acertado que essa gratificação passaria a ser parte do salário. Os secretários de Administração, Maurício Romão, e de Defesa Social, Rodney Miranda, assinaram um termo se comprometendo a cumprir o acordado até o mês de novembro, mas até agora nada foi feito”, explicou.

Ainda de acordo com Atanásia Prado, uma verba de custeio – ela não revelou o valor – também deixou de ser repassada à categoria. “Vamos paralisar todas as atividades pertinentes aos médicos-legistas e peritos. Nada vai ser feito até que tenhamos uma resposta positiva por parte do governo do Estado, que prometeu uma coisa importante para a categoria e não está cumprindo.”

A assessoria de imprensa da Secretaria de Defesa Social (SDS) garantiu que o Estado está cumprindo tudo o que foi acordado em maio com a categoria. Além disso, adiantou que, caso a paralisação dos peritos e médico-legistas cause prejuízos à população, vai tomar as medidas cabíveis e punir os responsáveis.

Na quinta-feira à noite, os trabalhadores voltam a se reunir, também no IML, para decidir se o movimento vai continuar, dessa vez por tempo indeterminado. Em maio, os peritos e médicos-legistas paralisaram as atividades por um mês. Na ocasião, eram liberados, em média, 15 corpos por dia, de acordo com a ordem que entraram no Instituto de Medicina Legal.

Da Assessoria de Comunicação do Cremepe.
Com Informações do Jornal do Commercio.

219 visualizações

Privado: Legistas param o IML quinta por 24 horas

Categoria cobra cumprimento de acordo feito após paralisação ocorrida em maio. Serviços serão suspensos às 7h. À noite, profissionais avaliam se mantêm movimento

Os 311 médicos-legistas e peritos dos Institutos de Criminalística (IC) e Medicina Legal (IML) do Estado vão realizar uma paralisação de advertência a partir das 7h da próxima quinta-feira. O movimento, previsto para durar 24 horas, foi definido durante assembléia da categoria realizada ontem à noite, no Instituto de Medicina Legal, em Santo Amaro, Centro do Recife. Com a decisão, perícias no local do crime ficarão suspensas. Os corpos que entrarem no IML também não serão necropsiados e, conseqüentemente, não vão ser liberados.

Segundo a presidente da Associação de Polícia de Pernambuco (Apoc-PE), Atanásia Prado, a paralisação acontecerá porque o governo do Estado não cumpriu o que foi acordado com os trabalhadores durante a greve realizada em maio. “Nós temos uma gratificação em cima do salário. Ficou acertado que essa gratificação passaria a ser parte do salário. Os secretários de Administração, Maurício Romão, e de Defesa Social, Rodney Miranda, assinaram um termo se comprometendo a cumprir o acordado até o mês de novembro, mas até agora nada foi feito”, explicou.

Ainda de acordo com Atanásia Prado, uma verba de custeio – ela não revelou o valor – também deixou de ser repassada à categoria. “Vamos paralisar todas as atividades pertinentes aos médicos-legistas e peritos. Nada vai ser feito até que tenhamos uma resposta positiva por parte do governo do Estado, que prometeu uma coisa importante para a categoria e não está cumprindo.”

A assessoria de imprensa da Secretaria de Defesa Social (SDS) garantiu que o Estado está cumprindo tudo o que foi acordado em maio com a categoria. Além disso, adiantou que, caso a paralisação dos peritos e médico-legistas cause prejuízos à população, vai tomar as medidas cabíveis e punir os responsáveis.

Na quinta-feira à noite, os trabalhadores voltam a se reunir, também no IML, para decidir se o movimento vai continuar, dessa vez por tempo indeterminado. Em maio, os peritos e médicos-legistas paralisaram as atividades por um mês. Na ocasião, eram liberados, em média, 15 corpos por dia, de acordo com a ordem que entraram no Instituto de Medicina Legal.