Pesquisar
Agendar Atendimento Presencial

Serviços

ver todos

Falso médico é preso em flagrante

Subtenente reformado da PM clinicava na Taquara e cobrava R$ 100 pelas consultas

Rio – Falso médico que atuava ilegalmente há pelo menos quatro anos foi preso ontem em flagrante, logo após atender senhora de 77 anos, num consultório na Taquara, em Jacarepaguá. O subtenente reformado da PM Alfredo Ângelo, 59 anos, se dizia especializado em neurologia, clínica geral, homeopatia e acupuntura, usava carimbo e receituário com CRM – número de registro no Conselho Regional de Medicina do Rio – inexistente e cobrava R$ 100 por consulta.

Durante o flagrante, feito por policiais da Delegacia de Repressão a Crimes contra a Saúde Pública, Alfredo chegou a dizer que seu único erro foi assinar e carimbar com CRM falso. Caso contrário – disse aos policiais que o prenderam -, não teria sido pego. No consultório, foram apreendidos aparelho de pressão, agulhas de acupuntura, medicamentos, avental, fichário de pacientes, documentos, receituário, carimbo, uma maleta e um neuroestimulador.

Segundo o delegado-titular Marcos Cipriano, o falso médico responderá por exercício ilegal da medicina – pena de até dois anos de prisão – e falsa identidade – até um ano.

Os pacientes atendidos pelo subtenente – eram mais de 200 fichas datadas desde 2002 – serão procurados. Caso alguém tenha sido prejudicado pela ação ilegal do subtenente, Alfredo poderá ser enquadrado por lesão corporal ou até homicídio.

Aposentada gastaria R$ 500 com o farsante

Maria Antônia de Jesus da Silva, 77 anos, recebe um salário mínimo de aposentadoria (R$ 350) e ontem desembolsou R$ 100 na esperança de aliviar a artrose. A promessa do “doutor Ângelo” veio pelo rádio: anúncio convidava ao consultório, na Avenida Nelson Cardoso 905/201, na Taquara. Atormentada pela dor, marcou a consulta por telefone. “Ele nem me examinou, só passou a receita”, contou Maria, que veio de Campo Grande.

O falso médico receitou quatro combinações de medicamentos homeopáticos para serem ingeridos todo dia, além de quatro sessões de acupuntura em seu consultório: R$ 100 cada. Disposta a pagar o tratamento, Maria soube por policiais, na saída da consulta, que tinha sido enganada. Maria recuperou os R$ 100 gastos.

A farmácia de manipulação Força Energética, para onde o falso médico encaminhava pacientes, é propriedade do dono do consultório em que Ângelo trabalhava. O registro da farmácia não é reconhecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e o estabelecimento deverá ser interditado hoje.

Da Assessoria de Comunicação do Cremepe.
TEXTO: Jornal O Dia (RJ).

784 visualizações

Privado: Falso médico é preso em flagrante

Subtenente reformado da PM clinicava na Taquara e cobrava R$ 100 pelas consultas

Rio – Falso médico que atuava ilegalmente há pelo menos quatro anos foi preso ontem em flagrante, logo após atender senhora de 77 anos, num consultório na Taquara, em Jacarepaguá. O subtenente reformado da PM Alfredo Ângelo, 59 anos, se dizia especializado em neurologia, clínica geral, homeopatia e acupuntura, usava carimbo e receituário com CRM – número de registro no Conselho Regional de Medicina do Rio – inexistente e cobrava R$ 100 por consulta.

Durante o flagrante, feito por policiais da Delegacia de Repressão a Crimes contra a Saúde Pública, Alfredo chegou a dizer que seu único erro foi assinar e carimbar com CRM falso. Caso contrário – disse aos policiais que o prenderam -, não teria sido pego. No consultório, foram apreendidos aparelho de pressão, agulhas de acupuntura, medicamentos, avental, fichário de pacientes, documentos, receituário, carimbo, uma maleta e um neuroestimulador.

Segundo o delegado-titular Marcos Cipriano, o falso médico responderá por exercício ilegal da medicina – pena de até dois anos de prisão – e falsa identidade – até um ano.

Os pacientes atendidos pelo subtenente – eram mais de 200 fichas datadas desde 2002 – serão procurados. Caso alguém tenha sido prejudicado pela ação ilegal do subtenente, Alfredo poderá ser enquadrado por lesão corporal ou até homicídio.

Aposentada gastaria R$ 500 com o farsante

Maria Antônia de Jesus da Silva, 77 anos, recebe um salário mínimo de aposentadoria (R$ 350) e ontem desembolsou R$ 100 na esperança de aliviar a artrose. A promessa do “doutor Ângelo” veio pelo rádio: anúncio convidava ao consultório, na Avenida Nelson Cardoso 905/201, na Taquara. Atormentada pela dor, marcou a consulta por telefone. “Ele nem me examinou, só passou a receita”, contou Maria, que veio de Campo Grande.

O falso médico receitou quatro combinações de medicamentos homeopáticos para serem ingeridos todo dia, além de quatro sessões de acupuntura em seu consultório: R$ 100 cada. Disposta a pagar o tratamento, Maria soube por policiais, na saída da consulta, que tinha sido enganada. Maria recuperou os R$ 100 gastos.

A farmácia de manipulação Força Energética, para onde o falso médico encaminhava pacientes, é propriedade do dono do consultório em que Ângelo trabalhava. O registro da farmácia não é reconhecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e o estabelecimento deverá ser interditado hoje.