Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Simpósio apresenta atualizações no tratamento da Miastenia Gravis

A Sociedade Norte, Nordeste e Centro-Oeste de Cirurgia Torácica (CONNECT) realiza, no dia 27 de outubro, no Hotel Atlante Plaza, no Recife, o Simpósio de Atualização em Miastenia Gravis, que reunirá profissionais de diversas especialidades, como cirurgia torácica, neurologia, anestesia, oncologia, radioterapia, entre outras áreas, para ampliar o intercâmbio de conhecimentos e melhorar o atendimento aos pacientes que possuem este distúrbio crônico neuromuscular. A coordenação é do cirurgião torácico Wolfgang W. Schmidt Aguiar e da neurologista Renata Andrade de Mendonça.

A miastenia gravis é caracterizada pela fraqueza muscular e fadiga rápida quando o músculo é exigido, podendo ser adquirida – de forma autoimune – ou congênita – quando os anticorpos produzidos pela mãe passam para o feto por meio da placenta. Não há formas conhecidas de prevenção, mas com tratamento adequado é possível ter uma boa qualidade de vida. Se não for devidamente tratada, a miastenia pode levar a complicações, como problemas respiratórios e até mesmo a morte.

As causas ainda não estão totalmente esclarecidas. A principal hipótese relaciona a doença com a produção de linfócitos e anticorpos pelo timo, uma glândula ligada ao sistema imunológico. Cerca de 15% dos casos são acompanhados por tumores no timo e a cirurgia para remoção da glândula é o método mais indicado para tratar a miastenia. Mesmo em pacientes sem tumores tímicos, a cirurgia parece ser uma excelente opção para aliviar os sintomas causados pela doença, livrando o paciente do uso excessivo e crônico de medicamentos.

A fraqueza muscular é o principal sintoma da miastenia gravis e piora a medida que o músculo afetado é usado repetidamente. Como os sinais e sintomas costumam melhorar com o repouso, a fraqueza muscular pode ir e vir, podendo se agravar com o passar do tempo se a doença não for tratada corretamente. A miastenia pode afetar diversos músculo do corpo, sendo mais comum nos músculos dos olhos (pálpebras caídas e visão dupla), músculos do rosto e pescoço (fala nasalada, cabeça caída, dificuldade para engolir, facilidade para engasgar, problemas de mastigação e perda do controle dos músculos faciais ligados às expressões, como sorrir, por exemplo) e músculos dos membros (afetando mais os membros superiores do que os inferiores).

Médicos de várias especialidades podem ser procurados pelo paciente, como o clínico geral ou o neurologista, chegando muitas vezes ao cirurgião torácico. Na consulta, são feitos exames físicos e neurológicos, além de uma investigação do histórico clínico do paciente e indicação da melhor estratégia de investigação adicional.