Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Especialista faz recomendações sobre o Covid-19

Imagem da coluna da jornalista Cinthya Leite veiculada no Jornal do Commercio do domingo (15/03/2020)

O especialista Ernesto Marques da University of Pittisburgh e do Instituto Aggeu Magalhães recomendou na quinta-feira (12/03/2020) informações referentes ao Covid-19 (coronavírus). “A infecção por COVID-19 é grave. Até agora, em média, uma de cada 5 pessoas precisa ser hospitalizada e a população deve ter como objetivo se proteger, bem como proteger as pessoas ao seu redor. A média geral da taxa de mortalidade é de 3.4%. Esse valor significa que o COVID-19 tem mortalidade de até 34 vezes maior do que influenza comum”, explicou. Confira os dados:

Informações Gerais:

• O objetivo das agências de saúde é reduzir a velocidade com que a doença se espalha e dar tempo para que o sistema de saúde seja capaz de absorver os pacientes que precisem de tratamento hospitalar.

• As ferramentas disponíveis no momento para desacelerar a transmissão da doença não são simples. Exigirá uma cooperação de toda a comunidade e é preciso que as ações implementadas sejam aderidas. As formas que serão descritas abaixo de contenção envolvem em geral medidas como lavar as mãos, etiqueta respiratória, distanciamento social, bem como outras medidas mais fortes como quarentena, testes frequentes que são determinadas pelas agencias de saúde.

• A infecção por COVID-19 é grave. Até agora, em média, uma de cada 5 pessoas precisa ser hospitalizada e a população deve ter como objetivo se proteger, bem como proteger as pessoas ao seu redor. A média geral da taxa de mortalidade é de 3.4%. Esse valor significa que o COVID-19 tem mortalidade de até 34 vezes maior do que influenza comum.

• A taxa de mortalidade varia muito com a idade; sendo próxima de 0% em crianças menores de 15 anos, 0.2% em pessoas com menos de 40; 0.4% entre 40 a 49; 1.3% entre 50-59; 3.6% entre 60-69; 8% entre 70-79 e mais de 15% com 80 anos ou mais. Ou seja, o risco é muito grande nas pessoas com mais de 60 anos. À medida que os médicos se familiarizam mais com a doença eles vão identificando a melhor forma de tratar os pacientes e a taxa de mortalidade pode se reduzir.

As recomendações básicas são:

Para evitar de se contagiar com COVID-19

• Evitar ambientes aglomerados e fechados, mantendo uma maior distância entre pessoas;

• Evitar tocar em seu rosto, olhos, nariz e boca;

• Lavar as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos frequentemente;

• Limpar com frequência objetos de constante uso como celulares.

• Manter etiqueta respiratória de cobrir a tosse e o espirro, de preferência com papel descartável, mesmo quando saudável.

• Se estiver cuidando de alguém já doente utilize máscaras e luvas.

• As máscaras que protegem o usuário se chamam N95 ou N99. Elas podem ter tipos de filtros diferentes os melhores têm filtros de carvão ativado. Confirme se a máscara foi certificada. Um dos tipos de certificação se chama 8511. Esse tipo de máscara é recomendado para quem estiver cuidando de pessoas doentes.

• Os profissionais de saúde vêm se contaminando com grande frequência. Por isso é essencial que os médicos e os demais profissionais de saúde que realizam procedimentos geradores de aerossóis, como intubação, aspiração traqueal, ventilação não invasiva, ressuscitação cardiopulmonar, indução de escarro e coleta de amostras nasotraqueais ou broncoscopias usem sempre mascaras tipo N95 ou N99 ou melhores.

O que fazer se estiver com sintomas:

• Se tiver algum sintoma como fadiga, tosse seca, febre e diarreia, fique em casa e evite de transmitir para as demais pessoas e animais da sua casa permanecendo em seu quarto, utilizando máscara e lavando propriamente as mãos;

• Existem vários tipos de máscaras. A máscara comum que os cirurgiões usam são para proteger o paciente de contaminação. Se você estiver doente esta máscara pode ser usada para proteger as demais pessoas da sua casa;

• Informe o seu médico de seus sintomas ou siga orientação dada pelos serviços de saúde publica.

• Se você sentir falta de ar ou sentir que os sintomas estão piorando telefone para o seu médico, vá à uma Emergência de Hospital ou Postos de Saúde. De preferência comunique ao Hospital que você está indo antes de sair de casa.

• Caso seja necessário sair de casa use máscara, não use transporte público e evite áreas aglomeradas e fechadas para evitar transmissão.

Como preparar a sua casa:

• Converse com as pessoas da sua casa a necessidade de se fazer um plano e como agir caso alguém na sua casa adoeça;

• Planeje como irá agir caso algum idoso ou outras pessoas com pressão alta ou diabete da sua família adoeça;

• Se alguém na sua casa usa medicamento tenha um estoque de pelo menos 30 dias.

• Procure algum serviço de atenção médica on-line ou estabeleça um método de comunicação com o seu médico;

• Converse com seus vizinhos sobre os seus planos e como um pode ajudar o outro em caso de necessidade;

• Identificar as pessoas ou locais onde você poder ir buscar assistência médica pessoalmente ou por telefone, bem como ajuda caso precise que alguém traga comida, remédios ou outros suprimentos;

• Faça uma lista dos seus telefones de contatos em caso de emergência;

• Esteja preparado para caso o seu trabalho, ou escola dos seus filhos fechem durante a epidemia;

• Procure formas de poder trabalhar em casa;

• Se possível separe um quarto e um banheiro para uso dos doentes da sua casa;

• Mantenha a comunicação por telefone ou outros meios com os amigos e familiares.

• Limpe ou substitua os filtros dos aparelhos de climatização (ar-condicionado ou aquecedor) e se possível use no modo que renova o ar. Verifique os tipos de filtros diferentes para o seu aparelho e use o que tiver o melhor poder de limpeza do ar. Os melhores filtros se chamam HEPA, mas nem todos os aparelhos são compatíveis com esse tipo de filtro.