Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Cremepe fiscaliza policlínicas Barros Lima e Amaury Coutinho

A secretaria de saúde do Recife terá até 48 horas, a contar do recebimento da notificação, entregue nesta sexta-feira (08/05), para compor a escala de médicos que devem atuar na assistência das Policlínicas Barros Lima, em Casa Amarela, e Amaury Coutinho, na Campina do Barreto. Sem a escala completa de profissionais, o Cremepe realizará a interdição do exercício ético-profissional do trabalho dos médicos pois as unidades não apresentam as condições exigidas para a realização do ato médico.

Em fiscalização realizada, hoje, quinta-feira (07/05), o Cremepe identificou que nas duas unidades uma única equipe é responsável pelo atendimento do SPA – Serviço de Pronto Atendimento – e da Unidade Provisória de Isolamento (UPI) destinada à assistência aos pacientes com COVID19 e são necessárias equipes exclusivas para cada setor. Assim, o que tem ocorrido é que as equipes são deslocadas para um dos setores, restringindo o outro.

Na vistoria da policlínica Amaury Coutinho tinham quatro médicos clínicos responsáveis por 30 leitos da área amarela com 28 pacientes internados e 5 pacientes na área vermelha (onde deveriam ter 4 pacientes), sendo 3 em ventilação mecânica somente na UPI, assim, o SPA estava restrito já que toda a equipe estava dando suporte aos pacientes críticos da UPI. Também foi identificada a falta de rede de gás para os leitos, entretanto, não faltam EPIs e nem medicação.

A Unidade Provisória da Barros Lima não estava funcionando por conta de uma pane elétrica, mesmo assim, o serviço não conta com uma equipe exclusiva para os atendimentos à COVID19. O Cremepe, então, condicionará a abertura da UPI da Barros Lima apenas com equipe exclusiva.

Diante das constatações, baseados nas Resoluções CFM Nº 2077 e Nº 2079 que dimensionam a equipe médica e o sistema de trabalho nos serviços; e da Resolução Cremepe Nº 01/2005, o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) emitiu a notificação para a secretaria de saúde do Recife estabelecendo o prazo de 48 horas para composição das escalas médicas, com equipes exclusivas para cada setor – SPA e UPI, caso não seja cumprida, as unidades sofrerão interdição ética.