Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Cremepe vistoria Unidade Mista Adelina Azevedo, em Itaquitinga

Em continuidade ao mapeamento da situação das unidades mistas da Zona da Mata do Estado, o 1º Secretário do Cremepe, André Dubeux, vistoriou a Unidade Mista Adelina Azevedo, em Itaquitinga, localizada 86 km do Recife. A vistoria realizada nesta terça-feira (28/09) contou com a presença da secretária municipal de saúde, Denise de Oliveira.

O município com 17 mil habitantes conta com seis unidades de saúde da Família e a unidade mista que atende pequenas emergências, só realiza partos no período expulsivo, não interna pacientes e nem realiza atendimento ambulatorial. A estrutura da unidade é precária, com equipamentos obsoletos e falta de insumos básicos como sabão e toalha de papel. Entretanto, a unidade realiza atendimentos aos pacientes com suspeita de COVID19, tem quatro enfermarias e três respiradores. No momento da vistoria, três pacientes foram atendidos no setor, mas sem confirmação para o coronavírus.

O laboratório é terceirizado, com funcionamento das 6h às 12h, nos dias úteis. Não há classificação de risco e os pacientes graves são referenciados para Nazaré da Mata ou Goiana. Mesmo assim, cerca de 70 pacientes são atendidos nas 24 horas do plantão. A escala é de um médico por dia, sem equipe exclusiva para o transporte de pacientes, mas com três ambulâncias. A farmácia é satélite, o Centro de Material e Esterilização – CME é correto, mas a lavanderia precisa ser adaptada às normas da Vigilância Sanitária.

De acordo com o fiscal do Conselho, a unidade apresenta problemas estruturais, de insumos e de pessoal, além da ausência de extintores de incêndio que coloca em risco pacientes e funcionários. “Encontramos uma unidade que não tem laboratório, não tem Raio-x, apenas um médico, não tem sistema de transporte, além de uma série de irregularidades”, pontuou. Ele explicou que no relatório da vistoria constarão todas as inconformidades que serão repassadas para a secretaria e Ministério Público do Estado.

Para a secretária municipal que acompanhou a fiscalização, o relatório será de extrema importância para “tentar melhorar a assistência para os nossos profissionais e pacientes”, disse a gestora.