Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Medalha Professor Fernando Figueira homenageia médicos pernambucanos

Foi realizada nesta quarta-feira (24/11) a outorga da comenda Professor Fernando Figueira, destinada aos médicos que tenham se destacado no exercício profissional da medicina por sua conduta ética e responsabilidade social. A medalha, criada em 2004 pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de Pernambuco (Cremepe) através da Resolução Nº 06, foi concedida este ano ao pediatra Eduardo Jorge Fônseca, à oncologista Jurema Telles e ao patologista Horácio Fittipaldi. A cerimônia foi transmitida através do canal no YouTube do Cremepe.

A mesa foi composta pelo presidente do Cremepe, Maurício Matos, pelo Secretário de Saúde do Estado, André Longo, pelo vice-presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe), Walber Steffano, pelo presidente da Associação Médica de Pernambuco (AMPE), Bento Bezerra e, representando a Secretaria Municipal de Saúde do Recife, Aristides Oliveira. No início da solenidade, foram registradas também as presenças das médicas Silvia Rissin, Presidente do IMIP e Afra Suassuna; representando o reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Téssio Souto Bacelar; da conselheira federal, Helena Maria Carneiro Leão, representando o Conselho Federal de Medicina (CFM); do médico Iran Costa, diretor do Hospital Alfa; da conselheira Guacyra Magalhães, representando os Hospitais Mestre Vitalino e Regional do Agreste de Caruaru e, ainda, a presença remota do vereador do Recife, Tadeu Calheiros.

Em seu discurso, o presidente do Cremepe, Mauricio Matos, cumprimentou todos os presentes. “O objetivo dessa comenda é servir como marco referencial do reconhecimento do Cremepe aos esforços e dedicação dos que exercem a medicina ética com solidariedade e responsabilidade social, elevando o prestígio e bom conceito dos médicos e de nossa profissão”, destacou o presidente. Em sua fala, Maurício Matos, destacou, ainda, a atuação do Secretário de Saúde, André Longo, no enfrentamento à pandemia no estado e de todos os médicos pernambucanos.

Apadrinhando o agraciado Eduardo Jorge Fônseca, o conselheiro João Guilherme Bezerra Alves, discursou em homenagem ao pediatra. “O Dr. Eduardo Jorge da Fônseca Lima tem sido um exemplo pela sua conduta, coordenando as atividades de formação de centenas de médicos residentes ao longo dos últimos 30 anos, sempre prezou pelo ensino da boa ética e se mostrou exemplar no exercício ético da medicina”, declarou João Guilherme.

Emocionado, o agraciado Eduardo Jorge falou da grande honra de ser um dos homenageados da noite e destacou a relevância do médico Fernando Figueira, que dá nome à comenda, em sua vida. “Os ensinamentos do Professor Fernando Figueira guiaram muitos pediatras, e eu me incluo em um deles. Com o professor, tive o privilégio de aprender várias lições como que a atribuição genuína do pediatra é proteger e cuidar do indivíduo em uma das fases mais importantes da sua vida: a infância e a adolescência”, declarou.

A conselheira Maria Luíza Menezes, que apadrinhou o patologista Horácio Fittipaldi, contou a história e o currículo do médico em seu discurso. Em sua fala, o homenageado também ressaltou o papel do Professor Fernando Figueira em sua formação. “Eu fiquei muito feliz também por esta medalha levar o nome de uma pessoa que sempre foi extremamente importante para mim. Eu tenho na pessoa do Professor Figueira uma referência para toda a minha vida como profissional e como humanista”, exaltou Fittipaldi.

Por fim, foi o momento de agraciar a oncologista Jurema Telles, apadrinhada pela conselheira federal Helena Maria Carneiro Leão que, em seu discurso, destacou a vida e histórico profissional da médica. “Receber essa comenda, além de uma grande honra, me trouxe também uma reflexão e um chamado para a ação. Eu pensei: um professor afeta a eternidade. É impossível dizer até onde vai a sua influência”, declarou a oncologista em referência ao Professor Fernando Figueira.