Pesquisar
Agendar Atendimento

Serviços

ver todos

Cremepe e Simepe discutem situação de pediatria da mata sul

cabO Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) convocou na terça-feira (14/06) os secretários de saúde do Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca, Sirinhaém e Escada para discutir sobre o atendimento pediátrico na mata sul. A reunião foi conduzida pelo vice-presidente do Cremepe, João Guilherme Bezerra e contou com a participação do Sindicato dos Médicos e Central de Regulação de leitos do Estado.

O presidente do Conselho, André Dubeux, abriu o encontro reafirmando a importância do diálogo entre os órgãos. Inclusive parabenizou o gestor do Cabo de Santo Agostinho pela iniciativa de solicitar audiência na entidade. O principal problema da região é a sobrecarga nas duas unidades de referência em pediatria – Hospital Infantil e Policlínica Jamaci de Medeiros. Além do fechamento do serviço de pediatria da UPA Cohab, ambos no Cabo de Santo Agostinho.

De acordo com a vice-presidente do Simepe, Cláudia Beatriz, na interlocução com a secretaria de saúde do Cabo ficou claro que havia uma ocupação territorial de municípios vizinhos que de alguma forma, ao longo dos anos, estava se desobrigando a prestar assistência aos seus munícipes. O secretário do município, Gilson Cabral, explicou que o Hospital Infantil absorve 30% de pacientes que não são do Cabo, a maioria de Escada e Ipojuca, onerando a saúde do município.

O secretário de Saúde de Sirinhaém, Ricardo Lacert, que também compareceu a reunião informou que os atendimentos em pediatria são feitos nas unidades de saúde da cidade e que os pacientes com indicação de internamento são transferidos via central de regulação. Já a secretária de Ipojuca não compareceu, mas enviou justificativa indicando que o município não fechou nenhum serviço e a assistência conta com: 15 ESF, 04 policlínicas, Centro de referência para saúde do homem, centro de diagnostico, centro de reabilitação, 05 serviços de urgência e emergência e uma maternidade. “Todos esses serviços dispõem de profissionais médicos suficientes para o atendimento aos usuários/pacientes e no que refere aos Serviços de Urgência/Emergência 24h, todos com equipe de plantão completa”, indicou o documento.

Cláudia Beatriz explicou ainda que a reunião – demandada pelo Sindicato dos médicos – busca que os municípios tentem cooperar para não sobrecarregar um único serviço sem descontinuidade da assistência. Por isso, ficou estabelecido em reunião que o Conselho Regional de Medicina (Cremepe) irá fiscalizar as unidades de saúde dos municípios citados e os relatórios serão encaminhados ao Ministério Público do Estado juntamente com a solicitação de uma audiência para um acordo entre os municípios.

Também participaram da reunião o coordenador da Central de Regulação de Leitos do Estado, Thiago Azevedo, a coordenadora médica da gerência de atenção à saúde do Cabo, Edite Landin, o diretor do Simepe, Walber Steffano e o 2º secretário do Cremepe, responsável pela fiscalização, Silvio Rodrigues.